Prof. Rui Paulo da Silva Martins

BIOGRAFIA

Rui P. Martins (IEEE Member’88 – Senior Member’99 – Fellow’08), nascido a 30/4/1957, obteve a Licenciatura, Mestrado, Doutoramento e Agregação em Engenharia Electrotécnica e de Computadores, no Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores (DEEC), do Instituto Superior Técnico (IST), da Universidade de Lisboa (UL), em 1980, 1985, 1992 e 2001, respectivamente. É membro do Corpo Docente do DEEC/IST desde Outubro 1980.

Encontra-se em Licença Especial, no IST, desde Outubro 1992, sendo Docente no Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores, da Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT), da Universidade de Macau (UM), Macau, China, onde é Professor Catedrático de Mérito desde 2013. Na FCT foi Director da Faculdade entre 1994 e 1997 e tem sido Vice-Reitor da UM desde Setembro 1997. Entre Setembro 2008 e Agosto 2018 foi o Vice-Reitor (Investigação), desde Setembro 2018 e até Agosto 2023 é o Vice-Reitor (Assuntos Globais). No âmbito da sua actividade de ensino e investigação leccionou 21 cadeiras de licenciatura e mestrado, e orientou (ou co-orientou) 47 teses, de doutoramento (26) e de mestrado (21). Publicou, em co-autoria: 9 livros e 12 capítulos de livro; 50 Patentes, nos EUA (39), China (8) e Taiwan (3); 745 artigos em revistas científicas (331) e em actas de conferências (414); e mais 80 trabalhos académicos num total de 896 publicações (h-index=46/citações=10,000+, Google Scholar). Criou em 2003 o Laboratório de Investigação em Circuitos Analógicos e Mistos (VLSI) da UM, que foi em Janeiro 2011 elevado a Laboratório de Referência da China (o primeiro em engenharia em Macau), sendo o seu Director-Fundador. Foi o Director-Fundador da UMTEC (empresa da UM) entre Janeiro 2009 e Março 2019, tendo apoiado a incubação e criação em 2018 da empresa Digifluidic, o primeiro “spin-off” da UM, cujo Presidente é um doutorado do Laboratório de Referência. Foi, igualmente, um dos co-fundadores da Chipidea Microelectrónica (Macau) [mais tarde Synopsys-Macau, e actualmente Akrostar, dirigida por um dos primeiros dos seus doutorados, com grau-duplo FCT-UM/IST-UTL] em 2001/2002.

Prof. Rui Martins é IEEE Fellow, foi Presidente-Fundador da Secção de Macau do IEEE (2003-2005), e do IEEE Macau Joint-Chapter on CAS/COM (2005-2008) [2009 World Chapter of the Year da Circuits And Systems Society (CASS) do IEEE], General-Chair da IEEE Asia-Pacific Conference on CAS – APCCAS’08, Vice-Presidente para a Região 10 (Ásia, Austrália, e o Pacífico) (2009-2011) e Vice-Presidente (Mundial) para Regional Activities and Membership (2012-2013) da CASS do IEEE, foi também Editor-Associado da IEEE Transactions on CAS II: Express Briefs (2010-2013), nomeado Best Associate Editor da T-CAS II (2012-2013). É Membro do Advisory Board do Journal of Semiconductors, do Chinese Institute of Electronics (CIE), Institute of Semiconductors, da Chinese Academy of Sciences, desde Janeiro 2021, e é Fellow da Asia-Pacific Artificial Intelligent Association desde Outubro 2021. Foi ainda membro: do IEEE CASS Fellow Evaluation Committee (Membro: 2013, 2014 & 2019; Chair: 2018; Vice-Chair: 2021 & 2022); da Comissão de Nomeação do Director do IEEE-Divisão I (CASS/EDS/SSCS) (2014); e da Comissão de Nomeações da IEEE CASS (2016-2017). Foi General Chair da ACM/IEEE Asia South Pacific Design Automation Conference – ASP-DAC’2016 tendo recebido o IEEE Council on Electronic Design Automation (CEDA) Outstanding Service Award 2016, e, também General Chair da IEEE Asian Solid-State Circuits ConferenceA-SSCC 2019. Foi ainda um dos Vice-Presidentes (2005-2014), o Presidente (2014-2017) e de novo Vice-Presidente (2021-2024) da Associação de Universidades de Língua Portuguesa (AULP), em Setembro de 2021 foi nomeado Membro Honorário da AULP (honra concedida apenas a 5 personalidades em todo o mundo). Recebeu 3 condecorações do Governo de Macau: a Medalha de Mérito Profissional (Administração Portuguesa – 1999); o Título Honorífico de Valor (2001) e a Medalha de Mérito em Educação (2021) (Administração Chinesa). Desde Julho de 2010 foi eleito, por unanimidade, Membro Correspondente (2010-2022) e posteriormente elevado a Membro Efectivo (em 2022) da Academia das Ciências de Lisboa, sendo o único Português membro da Academia a trabalhar e a viver na Ásia.