Discurso do Reitor na Cerimónia de Graduação de 2021 (19/06/2021)

Exma. Senhora Secretária para os Assuntos Sociais e Cultura da Região Administrativa Especial de Macau, Dr. ª Ao Ieong U, em representação do Chefe do Executivo da Região Administrativa Especial de Macau e Chanceler da Universidade de Macau,

Exmo. Senhor Presidente do Conselho da Universidade, Doutor Lam Kam Seng Peter,

Exmos. Senhores Membros da Assembleia e do Conselho da Universidade,

Caros convidados, antigos alunos e professores, caros alunos e famílias:

Boa tarde! Sejam bem-vindos à Cerimónia de Graduação de 2021 da Universidade de Macau, para juntos testemunharmos um momento marcante na vida de mais de 1500 recém-graduados. Por esta ocasião, em nome da Universidade de Macau, tenho o prazer de estender as minhas mais calorosas felicitações a todos os alunos que completaram com sucesso os seus estudos. Gostaria igualmente de expressar os meus mais sinceros agradecimentos aos vossos professores e famílias, pelo cuidado, apoio e orientação que vos têm prestado ao longo do vosso percurso.

O ano de 2021 marca o 40.º aniversário da Universidade de Macau, pelo que as vossas conquistas académicas, que coincidem com este momento comemorativo, encerram em si um significado especial. Apesar de ainda não termos conseguido sair por completo das brumas da epidemia da Covid-19, as circunstâncias estão-se a desenvolver numa direcção favorável.

Caros alunos, Macau conheceu tempos conturbados em termos económicos e sociais antes do seu retorno à Pátria. No entanto, os nossos antigos alunos que se formaram nesse período, apesar de se verem confrontados com perspectivas incertas e indefinidas, fazendo-se valer da sua perseverança, determinação e atitude optimista, trabalharam árdua e inquebrantavelmente, chegando, passo a passo, a onde estão agora. Hoje, muitos deles são pilares da nossa sociedade, assumindo funções de grande importância. As suas contribuições e realizações notáveis têm merecido o reconhecimento da sociedade e, inclusivamente, sido condecoradas pelo Governo da RAE, constituindo um bom exemplo para todos nós.

Caros alunos, neste momento, deparamo-nos com as atribulações decorrentes da epidemia da Covid-19 e das mudanças na conjuntura internacional. Porém, estas adversidades são apenas temporárias. As nossas perspectivas de desenvolvimento a longo prazo são promissoras. Por isso, devemos avançar para o novo ponto de partida das nossas vidas com uma atitude positiva e optimista. Dito isto, gostaria de partilhar convosco três reflexões.

Em primeiro lugar, é fundamental seguirmos em frente com coragem e brio, não obstante as dificuldades. Devido à influência contínua da epidemia na economia e na sociedade a nível mundial, os graduados deste ano poderão enfrentar desafios na procura de emprego, tais como uma redução no número de vagas e competição intensa. Ainda que a realidade possa divergir das vossas expectativas, espero que ajustem a vossa mentalidade quanto aos obstáculos e desafios, e que sejam capazes de os enfrentar com uma atitude positiva e de os encarar como experiências formativas. Tal como o Presidente Xi Jinping tem dito para nos encorajar, “Basta que haja vontade, haverão sempre mais soluções do que dificuldades.” Hoje, darão os vossos primeiros passos na sociedade. Deverão ter confiança em vós próprios, mas também deverão saber como agarrar e dar valor às oportunidades que surgirem. Mesmo oportunidades que, à primeira vista, aparentem ser triviais, poderão ser a chave para os vossos êxitos futuros. A nossa antiga aluna Hazel Huang, que criou empresas de tecnologia de saúde em Macau e Zhuhai, é uma jovem empreendedora de sucesso. Após graduar, ela encontrou um emprego numa empresa farmacêutica no interior da China. Apesar do salário ser relativamente baixo, em vez de se queixar, ela aproveitou as oportunidades que este trabalho lhe trouxe para se inteirar do desenvolvimento da indústria farmacêutica. Por fim, logrou expandir os seus conhecimentos, a sua experiência e a sua rede de contactos com os profissionais da indústria. O sucesso no seu percurso empreendedor não se deveu unicamente à sua experiência fecunda em concursos de empreendedorismo e estágios no interior da China, mas também, e de sobremaneira, à sua perseverança e à audácia de experimentar novas ideias.

Em segundo lugar, é fulcral sermos capazes de estabelecer metas elevadas mas, ao mesmo tempo, assentes na realidade. A era pós-epidemia assistirá a transformações e mudanças vertiginosas no desenvolvimento e aplicação tecnológica, no ambiente político e económico internacional, e até nos padrões de desenvolvimento social. Os jovens, mais receptivos e adaptáveis aos novos ambientes e realidades, deverão ter a coragem de abraçar o progresso através de prática e inovação constantes. “Sem motivação, nada se concretiza.” A nova era precisa dos que ambicionam alto; “O Homem sonha, a obra nasce.” A nova era pertence aos que trabalham afincadamente.

Caros alunos, um célebre ministro da dinastia Qing, Zuo Zongtang, tinha uma máxima: “Ser clarividente no pensamento, humilde na conduta e ágil na acção.” Espero que acalentem nas vossas mentes grandes ambições, temperadas pela capacidade de visão e impulsionadas pela força de vontade. Espero que persigam os vossos ideais e sonhos com brio e convicção. Os ideais não podem ser pensamentos vazios. Não nos devemos tornar num “colosso no pensamento, mas homúnculo na acção”. Devemos planear e agir de acordo com os nossos objectivos e ideais. Quer optem por continuar os vossos estudos ou entrar no mercado de trabalho, espero que definam as vossas aspirações, empenhem-se intensa e inabalavelmente e avancem rumo às vossas metas. Também espero que sejam capazes de se adaptar ao ambiente em constante mudança, revelar o vosso potencial, assim como perseguir e concretizar os vossos sonhos.

Em terceiro lugar, é essencial sabermos aproveitar as oportunidades de desenvolvimento. Enquanto a pandemia prossegue a sua investida global, tanto o interior da China como Macau quase que se tornaram nos lugares mais seguros do mundo. O sucesso do nosso País no controlo da epidemia e na gradual recuperação económica e restabelecimento da normalidade a nível social foi reconhecido internacionalmente e reflecte as vantagens do nosso sistema. Este ano, com o lançamento oficial do “14.º Plano Quinquenal de Desenvolvimento Económico e Social Nacional da República Popular da China e as Metas de Longo Prazo para 2035”, a China encetará uma nova trajectória, com acções ainda mais robustas.

Caros alunos, estão no momento mais dinâmico das vossas vidas. Enfrentarão mudanças sem precedentes, as maiores dos últimos cem anos. Participarão na concretização das “metas do segundo centenário” e na “grande revitalização da nação chinesa”. Espero que acompanhem e compreendam as macropolíticas e as tendências de desenvolvimento do País, que se posicionem de modo a que os vossos horizontes e perspectivas sejam mais amplos, e que entrelacem o vosso crescimento e desenvolvimento pessoal com o de Macau e do nosso País! “Quando a juventude é forte, a nação é forte.” Caros alunos, neste novo ponto de partida das vossas vidas, deverão assumir e estar cientes das vossas responsabilidades. Deverão ter a coragem para inovar e para encarar os desafios, firmes na prossecução dos vossos sonhos e, acima de tudo, empenhados na construção de Macau e da China sob o princípio “Um País, Dois Sistemas”, com um coração que ama Macau e a Pátria!

Caros alunos, a conjuntura complexa na qual vivemos constitui um grande desafio para todos nós, mas também podemos encará-la como uma oportunidade única de nos testar. Desejo genuinamente que iniciem este novo capítulo da vossa vida com confiança e optimismo, e que partam rumo aos vossos sonhos com coragem e perseverança! Gostaria de vos felicitar pela vossa graduação, e desejar-vos um futuro brilhante! Aguardo com expectativa a vossa visita à alma mater! Gostaria também de fazer votos de muita saúde e felicidade para todos os presentes!

Muito obrigado!

Discurso do Reitor na Cerimónia de Graduação de 2020 (28/11/2020)

Exma. Senhora Secretária para os Assuntos Sociais e Cultura da Região Administrativa Especial de Macau, Dr. ª Ao Ieong U, em representação do Chefe do Executivo da Região Administrativa Especial de Macau e Chanceler da Universidade de Macau,
Exmo. Senhor Presidente do Conselho da Universidade, Doutor Lam Kam Seng Peter,
Exmos. Senhores Membros da Assembleia e do Conselho da Universidade,
Caros convidados, antigos alunos e professores, caros alunos e famílias,

Boa tarde!

Numa altura em que a pandemia de COVID-19 no interior da China e em Macau está, em grande medida, sob controlo, mas em que a situação a nível mundial não se afigura tão clara, realizamos esta cerimónia de graduação muito especial, que certamente será inesquecível para todos os presentes. Infelizmente, devido à epidemia, alguns pais e alunos não tiveram a oportunidade de assistir presencialmente à cerimónia, e só puderam participar nesta ocasião de relevo, revestida de um significado especial, através de plataformas de vídeo online. Porém, estou seguro que, neste momento, estamos todos igualmente gratos e entusiasmados. E agora, em nome da Universidade de Macau, tenho o prazer de estender as minhas mais calorosas felicitações aos alunos que superaram as inúmeras dificuldades e completaram com sucesso os seus estudos durante a epidemia, bem como aos vossos familiares e amigos; aproveito também para manifestar o meu mais profundo respeito aos nossos professores, pelo seu zelo incondicional e abnegação; e por fim, gostaria de expressar a minha sincera gratidão a todos os sectores da sociedade pelo seu apoio à UM durante a epidemia.

A epidemia da pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus constitui um desafio hercúleo para o país, para a sociedade, para a universidade e para todos em geral. Durante a epidemia, a Universidade de Macau manteve sempre a sua prioridade na segurança e na saúde física e mental dos seus docentes e alunos, e envidou todos os esforços para minimizar o impacto da epidemia no ensino e investigação.

Um aspecto que me trouxe grande satisfação foi que os nossos alunos, apesar de se encontrarem em lugares diferentes por razões que lhes são alheias, velaram e apoiaram-se mutuamente, participando activamente no combate à epidemia enquanto se mantiveram diligentes nos seus estudos. Alguns alunos integraram-se num grupo de voluntariado online para difusão de informação sobre a epidemia, onde apresentaram relatórios e divulgaram histórias encorajadoras relativas à pandemia. Ademais, houve também alunos que registaram, por iniciativa própria, as histórias de prevenção e combate à epidemia em Macau, por meio de entrevistas e questionários, publicando-as numa colecção intitulada “Graduados de Comunicação 2020 – Histórias de Macau na Luta contra a Epidemia” como o seu trabalho de conclusão do curso. Concomitantemente, os nossos professores, que permaneceram dedicados às suas funções durante esse período, não pouparam esforços para se adaptarem e aperfeiçoarem o ensino online. Os nossos investigadores trabalharam arduamente, numa corrida contra o relógio, para prestarem apoio no combate à epidemia. Pessoas de diversos sectores da universidade também tomaram a iniciativa de empregar as suas valências para assistirem no combate à epidemia em Macau. Entre as quais, uma equipa profissional de aconselhamento psicológico, constituída por professores, psicoterapeutas e conselheiros psicológicos da UM, proporcionou serviços de apoio psicológico à sociedade. Concorrentemente, reunindo professores internos e externos, a UM proporcionou cursos de formação gratuitos a pequenas e médias empresas.

Durante a epidemia, tanto os professores como os estudantes demonstraram firmeza, determinação e um espírito de altruísmo que permitiram à UM manifestar a sua capacidade de resposta e de serviço perante a epidemia. Pelo vosso esforço e suor, cada um de vós merece a mais calorosa salva de palmas!

Estudantes graduados, em breve despedir-se-ão do campus, levando convosco as alegrias do sucesso que a UM e Macau alcançaram no combate à epidemia. Mas antes de seguirem para a nova jornada das vossas vidas, gostaria de partilhar convosco três reflexões:

Em primeiro lugar, agora, mais do que nunca, é fundamental ter o sentimento de pertença à pátria e o sentido de responsabilidade. Ao enfrentar esta catástrofe que aflige toda a Humanidade, a responsabilidade e a capacidade de resposta demonstradas pelo nosso país, ao que se incluem os esforços concertados do governo da RAEM e de todos os sectores da sociedade, traduziram-se numa lição impressionante e inspiradora, que por sua vez nos possibilitou ter um entendimento mais profundo e directo do sentimento de pertença à pátria. O mundo está a passar por tremendas mudanças, pelo que não só é necessário voltar a nossa atenção para toda humanidade, tomando parte na resolução de problemas comuns, mas também é necessário ter um sentimento de pertença à pátria que oriente a prossecução do nosso valor pessoal, enquanto assumimos, conjuntamente, a valorosa missão que é proteger e edificar o nosso país.

Em segundo lugar, agora, mais do que nunca, é fundamental ter uma mentalidade de optimismo e perseverança. A súbita e arrebatante investida da epidemia levou-nos a enfrentar várias privações e perdas sem precedentes. Estou certo de que cada um de vós tenha os seus próprios sentimentos e reflexões acerca deste ano, um ano repleto de desafios para todos. Talvez tenhamos tido mais hesitações e desassossegos do que antes. No entanto, a História e a evidência empírica asseveram-nos que iremos encontrar os meios para superar todas as agruras, para abrir caminho por entre todas as incertezas e obstáculos que nos surjam à frente. Com a epidemia, o futuro ainda está envolto em obscuridade, mas independentemente das dificuldades e contrariedades com que possam deparar, espero que permaneçam sempre esperançosos e optimistas, que enfrentem as dificuldades com coragem e perseverança, e que procurem activamente formas de as superar, aproveitando os desafios para se auto-aperfeiçoarem.

Em terceiro lugar, agora, mais do que nunca, é fundamental ter a capacidade de aprendizagem contínua e de desenvolvimento numa era caracterizada por profundas mudanças. Esta epidemia revelou-nos a possibilidade do mundo passar por transformações ainda mais substanciais no futuro, no respeitante ao modo de vida, à aplicação de tecnologias e nas relações internacionais. Acredito que o vosso tempo de estudo na UM já vos dotou com conhecimentos e competências suficientes, por isso, sejam confiantes e tenham tenacidade. Espero que, no futuro, enquanto estiverem a aplicar os vossos conhecimentos adquiridos, se mantenham curiosos sobre o mundo, meticulosos na reflexão e ousados na inovação, para melhor enfrentarem as mudanças e as provações na vossa vida pessoal e profissional.

Caros alunos, o passado é, em última instância, apenas o prólogo. Neste momento, em que estão prestes a dar o primeiro passo numa nova fase das vossas vidas, espero que tenham em mente e pratiquem as cinco virtudes que constituem o lema da UM: o humanismo, a honestidade, a ética, a erudição e a sinceridade. Aproveitem para viver os vossos sonhos de juventude, enalteçam a nobreza de espírito e pratiquem o que aprenderam com responsabilidade e com uma visão mundial. Antes de concluir o discurso, gostaria de expressar, mais uma vez, os meus mais sinceros votos aos alunos que não puderam assistir presencialmente à cerimónia. Aguardamos com expectativa a visita à vossa alma mater, quando as condições o permitirem. A UM estará à vossa espera com a mesma atenção, entusiasmo e amor de sempre! Gostaria também de apresentar mais uma vez os meus parabéns a todos os graduados. Desejo-vos um futuro brilhante e faço votos de saúde e muitas felicidades para todos os presentes!

Discurso do Reitor na Cerimónia de Outorga dos Graus Académicos Honoríficos e de Pós-graduação 2019 (09/11/2019)

Exmo. Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura da Região Administrativa Especial de Macau, Doutor Alexis Tam Chon Weng, em representação do Chefe do Executivo da RAEM e Chanceler da Universidade de Macau,
Exmo. Senhor Presidente do Conselho da Universidade, Doutor Lam Kam Seng Peter,
Exmo. Senhor Presidente da Comissão de Graus e Títulos Honoríficos do Conselho da Universidade, Dr. Lei Pui Lam,
Exmos. Senhores Membros da Assembleia e do Conselho da Universidade,
Caros convidados, colegas e alunos,

Boa tarde! Sejam bem-vindos à Cerimónia de Outorga dos Graus Académicos Honoríficos e de Pós-graduação de 2019. Por esta ocasião, gostaria de endereçar, em nome de todos os membros da Universidade, as mais vivas felicitações aos graduados. Por outro lado, também gostaria de dirigir os meus sinceros agradecimentos às vossas famílias, orientadores e amigos.

Hoje, temos ainda o privilégio de conferir os graus de doutor honoris causa e prestar homenagem a quatro individualidades eminentes, em reconhecimento dos seus contributos notáveis para a UM, para a sociedade de Macau, e para causas nacionais do ensino superior, de ciências e tecnologias e da cultura. Tenho enorme prazer de vos apresentar os quatro laureados, que, a partir de hoje, manterão um laço estreito com a UM: o Dr. Qiao Xiaoyang, um participante na construção do sistema jurídico da China e nas reformas e abertura do país e um promotor importante do processo da construção do novo campus da UM, a receber o grau de doutor honoris causa em Direito; a Dra. Lau Sin Peng, uma educadora de rica experiência, que se dedica à educação em Macau durante dezenas de anos, a receber o grau de doutor honoris causa em Ciências da Educação; o Professor Doutor Dennis Lo Yuk Ming, um especialista de renome em aplicação clínica da biologia molecular e o “pai do teste pré-natal não invasivo”, a receber o grau de doutor honoris causa em Ciências; o Doutor Roy Chung Chi Ping, um impulsionador para o regresso de talentos a Macau e um empresário lendário no sector industrial de Hong Kong, a receber o grau de doutor honoris causa em Gestão de Empresas. Todos os quatro galardoados conquistaram êxitos notáveis e deixaram influências profundas nas respectivas áreas, cuja dedicação às carreiras profissionais e coragem de explorar novas ideias e de as pôr em prática constituem motivos da nossa admiração.

A UM, a única universidade pública em Macau, conheceu uma grande evolução e já se tornou em uma janela através da qual Macau se apresenta ao país e a todo o mundo. No último ano, a UM estava a elaborar um novo plano estratégico que versa sobre a sua dimensão institucional, promoção da internacionalização, construção da equipa docente e investigação científica. Simultaneamente, em articulação com as novas tendências do ensino superior, da investigação científica e da inovação, a nível internacional, nacional e regional, a UM adoptou as estratégias designadas R.I.S.E. (Relevance, Impact, Significance e Excellence) para melhor planear e realizar a formação de talentos, assim como os trabalhos de ensino e investigação em todas as áreas. Além disso, foi implementado um novo plano de investigação para promover a cooperação entre múltiplas disciplinas e áreas. Todos estes esforços permitirão à UM continuar a evoluir-se e prosseguir a excelência, a partir da base já existente, através da inovação e do aproveitamento suas características e vantagens educacionais.

Na sequência do lançamento oficial das Linhas Gerais do Planeamento para o Desenvolvimento da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, o governo da RAEM divulgou o anexo ao Plano Quinquenal de Desenvolvimento da Região Administrativa Especial de Macau, intitulado “Participação da RAEM na construção da Zona da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau”. A divulgação deste documento não só esclareceu a direcção de desenvolvimento de Macau, como também trouxe à UM oportunidades para reforçar a sua participação no desenvolvimento regional no que diz respeito ao ensino superior e à inovação científica. No contexto de que o país iniciou e atribui muita importância à construção da Região da Grande Baía, a UM tem vindo a aproveitar as oportunidades trazidas por esta estratégia nacional, tendo levado a cabo diversos trabalhos relacionados com as referidas Linhas, em articulação com as políticas e planeamento do governo da RAEM. A este respeito, a UM estabeleceu, em colaboração com o sector industrial, a primeira base de cooperação exemplar no interior da China, através do Instituto de Investigação Científica e Tecnológica da UM em Zhuhai, pondo em prática os resultados de investigação; encorajou a partilha de recursos científicos com os parceiros na Grande Baía, promovendo a inovação tecnológica; desenvolveu com instituições na Grande Baía projectos destinados à formação de talentos, incluindo o projecto de formação conjunta de estudantes de doutoramento, em cooperação com a Shenzhen University e a Southern University of Science and Technology, assim como os projectos de intercâmbio de estudantes de licenciatura, em cooperação com a Shenzhen University, a Sun Yat-sen University e a South China University of Technology. Além disso, com a integração das capacidades científicas e educativas das respectivas instituições de ensino superior, a UM desenvolveu ainda projectos de cooperação a nível regional, com vista a facilitar a construção de um centro de investigação e de formação de quadros na costa ocidental da Grande Baía. Dentre estes projectos, destaca-se o estabelecimento de várias alianças, incluindo a Aliança para Inovação Tecnológica e Desenvolvimento de Talentos no Oeste da Região da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, criada conjuntamente com o Beijing Normal University – Hong Kong Baptist University United International College e a Wuyi University, a Aliança para Inovação da Tecnologia Marinha Guangdong-Hong Kong-Macau e a Aliança para a Ciência e Tecnologia Espacial Guangdong-Hong Kong-Macau, em cooperação com a University Sun Yat-sen, a Aliança de Académicos para Empreendedorismo e Inovação Guangdong-Hong Kong-Macau, em cooperação com a Federation of Guangdong Academicians, assim como a Aliança para Inovação Indústria-Universidade Guangdong-Hong Kong-Macau, em cooperação com a empresa Zhuhai Dahengqin Technology Development Co.. Através destas iniciativas, promoveu-se o desenvolvimento sustentável de Macau, da costa oeste e de toda a Grande Baía.

A UM atribui sempre grande importância à investigação académica e à inovação tecnológica. Enquanto uma universidade internacional de ponta na costa ocidental da Grande Baía, a instituição conheceu este ano avanços concretos, em particualar, na área da investigação inovadora. Realizadas diversas pesquisas e planeamento científico, a Universidade concebeu um plano de desenvolvimento colaborativo para várias áreas emergentes, criando condições favoráveis para as investigações e cursos interdisciplinares e para o campo da inovação e empreendedorismo. Nos últimos anos, a UM também tem investido mais recursos na área das humanidades e ciências sociais. A título de exemplo, construiu o Edifício Cultural que entrou em funcionamento este ano, tendo sido criados o Instituto de Estudos Avançados em Humanidades e Ciências Sociais e o Centro de Estudos do Direito Constitucional e da Lei Básica. Através destas iniciativas, reforçou-se gradualmente a capacidade académica da UM nestas disciplinas. Deste modo, a Universidade pode prestar apoio intelectual a Macau no desempenho das suas funções enquanto “um centro, uma plataforma e uma base”. Por outro lado, para além de ter estabelecido um laboratório conjunto de referência, em cooperação com o Key Laboratory of Bioinorganic and Synthetic Chemistry (Sun Yat-sen University), Ministry of Education, a UM ainda criou, em cooperação com o Institute of Biophysics da Chinese Academy of Sciences, um laboratório conjunto de ciências do cérebro e cognitiva, um laboratório conjunto de referência do Ministério da Educação e um centro de investigação de referência do Ministério da Educação. Estes projectos de cooperação estratégicos e diversificados permitem a cada parte envolvida aproveitar as próprias vantagens científicas e promover a investigação de ponta e o desenvolvimento tecnológico. Mais, neste ano, a UM definiu uma estratégia de desenvolvimento para a investigação, que é orientada para as questões pré-definidas e que se destina a aprofundar a cooperação entre disciplinas de Letras e de Ciências e a valorizar a inovação colaborativa e a transferência de conhecimento. Além disso, a Universidade também concluiu a elaboração de um plano estratégico que tem como núcleo quatro blocos de elementos: o aproveitamento dos três laboratórios de referência do estado, nas áreas das ciências médicas chinesas, da microelectrónica e da internet das coisas para a cidade inteligente, que desempenharão um papel de liderança na investigação; a promoção da investigação nas três áreas emergentes: medicina de precisão, materiais avançados e oceanografia regional; o estabelecimento de três plataformas de investigação interdisciplinares para as áreas da inteligência artificial, da ciência de dados e das ciências cognitiva e do cérebro; o desenvolvimento de três plataformas de investigação na área das humanidades e ciências sociais, que comportam o Centro de Estudos de Macau, a Academia de Economia e Gestão para a Ásia-Pacífico e o Instituto de Estudos Avançados em Humanidades e Ciências Sociais. Através do reforço da interacção e sinergia entre estas plataformas e as faculdades, será promovida na UM a integração entre o ensino e a investigação e entre as Letras e as Ciências, sendo reforçadas, simultaneamente, as capacidades de investigação da UM, de Macau e de todo o país.

Decorridos 38 anos, com apoio dos governos central e local, a Universidade de Macau, como uma universidade inserida numa região administrativa especial, tem missões e características singulares e goza de um grande prestígio a nível local e internacional. Sendo a melhor instituição de ensino superior na costa ocidental da Grande Baía, a UM, a partir das existentes bases de ensino e investigação, irá continuar a articular-se com as estratégias de desenvolvimento nacionais, a acompanhar a tendência internacional e a aproveitar as vantagens da Grande Baía. Desde modo, a instituição terá um maior potencial de desenvolvimento no futuro e poderá equipar os seus alunos com horizontes mais amplos e proporcionar-lhes melhores oportunidades. Daqui em diante, a missão principal da UM, enquanto uma instituição baseada em Macau, integrada na Grande Baia e com uma visão nacional e internacional, continuará a ser a de formação de talentos e de apostar em áreas seleccionadas, de modo a ir ao encontro das espectativas do país e da comunidade local. No que diz respeito à elevação da competitividade internacional, a UM irá alargar a cooperação na educação e na investigação científica e promover a internacionalização do ensino superior em Macau.

A Universidade de Macau já tem sólidas fundações e condições a partir das quais poderá, de certeza, construir um futuro ainda mais brilhante, um bom futuro que também pertencerá aos antigos alunos desta instituição. Espero que os graduados, depois de saírem da Universidade de Macau, possam trabalhar com afinco, aproveitar bem oportunidades e contribuir para a sociedade. Desejo também a todos saúde e muitas felicidades. Obrigado.

Discurso do Reitor na Cerimónia de Graduação de 2019 (25/05/2019)

Exmo. Senhor Chefe do Executivo da Região Administrativa Especial de Macau e Chanceler da Universidade de Macau, Doutor Chui Sai On,

Exmo. Senhor Presidente do Conselho da Universidade, Doutor Lam Kam Seng Peter,

Exmos. Senhores Membros da Assembleia e do Conselho da Universidade,

Caros convidados, antigos alunos e professores,

Caros alunos e famílias,

Boa tarde! Sejam bem-vindos à Cerimónia de Graduação de 2019 da Universidade de Macau (UM)! O dia de hoje constitui um importante marco na vida de mais de 1.500 licenciados. É também um momento de grande orgulho para a UM. Por esta ocasião, antes de mais, gostaria de endereçar, em nome da Universidade, as minhas mais calorosas felicitações a cada diplomado, pela conclusão dos seus estudos. Por outro lado, também gostaria de expressar a minha mais alta estima aos dedicados professores e funcionários da UM, que têm vindo a trabalhar com afinco e paixão. Além disso, gostaria de prestar homenagem às famílias dos alunos. Finalmente, aproveito esta oportunidade para dirigir os meus sinceros agradecimentos a todos os sectores da comunidade, pela atenção e apoio prestados ao desenvolvimento da UM.

Caros estudantes, gostaria de aproveitar esta ocasião para vos dirigir algumas palavras. Quando eu era um jovem como vós, estava convicto de que “o conhecimento muda o destino e a visão define a vida”. Também há quem diga algo semelhante: “a tua visão determina o teu nível”. Estudei e trabalhei em lugares diferentes. Na prossecução do meu ideal e sonho, percebi que a maneira como uma pessoa vê o mundo é determinante para o seu desenvolvimento pessoal e profissional. Neste momento de alegria, quando os estudantes estão a deixar a Universidade para iniciar uma nova fase de vida, eu gostaria de partilhar convosco algumas das minhas ideias sobre este tópico.

Maior altitude oferece melhor visão. “Quando se está no pico da montanha mais alta, todas as outras à sua volta parecem insignificantes.” Hoje em dia, enfrentamos uma concorrência internacional cada vez mais feroz. Por isso, é crucial possuir uma visão globalizada. O vosso mundo é tão grande quanto o vosso horizonte. Como ensina um provérbio chinês: uma águia que voa no céu captura tudo o que existir abaixo; uma rã encerrada num poço de água nem sabe o que é o mar. O mesmo sucede com o ponto de vista de uma pessoa: as pessoas, posicionadas de maneiras diferentes e que observam o mesmo objecto, poderão chegar a conclusões diversas. Aqueles que não vêem a situação global só podem perceber algumas facetas de um assunto. Ou seja, tudo o que a tua visão alcança determina o nível do teu conhecimento sobre o mundo, a tua mentalidade, a tua capacidade para solução de problemas e, em última análise, a tua competitividade e destino.

É por esta razão que os antepassados chineses diziam “subir mais um andar para ver mais longe”. Fisicamente, podemos melhorar a nossa vista quando nos posicionamos num ponto mais elevado. Intelectualmente, precisamos de estudar e acumular experiência para ampliar a nossa visão. Se os estudantes universitários quiserem obter maiores êxitos, precisam de não só adquirir conhecimento para se colocarem num ponto de partida de nível mais elevado, como também precisam de expandir os seus horizontes.

Hoje, o nosso País está próximo, mais do que nunca, do centro do mundo. Tanto as metrópoles do interior da China, como Macau, estão cada vez mais internacionalizadas e envolvidas numa competição internacional crescentemente intensa. Face a esta tendência e para sobreviver e nos desenvolvermos, é necessário possuir uma visão global e qualidades internacionalmente reconhecidas. Neste contexto, a UM tem vindo a criar uma cultura universitária aberta, inclusiva, multifacetada e internacionalizada, oferecendo oportunidades de estudo e intercâmbio no interior da China e nos países e regiões estrangeiras para um número cada vez maior de estudantes. O nosso objectivo é alargar-lhes o horizonte, para que adoptem uma perspectiva mais abrangente nos seus estudos e pensamento.

Actualmente os estudantes da UM podem realizar intercâmbio e estudar em 150 instituições de ensino superior de prestígio, espalhadas em todo o mundo. Para além de melhorar a sua capacidade linguística e conhecimento profissional, os estudantes podem ainda obter experiência de vida em diferentes contextos culturais.

Nos últimos quatro anos, sob a coordenação das faculdades, colégios residenciais ou do Gabinete de Assuntos dos Estudantes, muitos dos estudantes aqui presentes deslocaram-se a diferentes locais do mundo para fazer intercâmbio, estudar ou participar em concursos. Durante estas actividades, para além de reforçarem as suas competências académicas, os estudantes também ficaram a conhecer diversas culturas do mundo e alargaram os seus horizontes.

A título de exemplo, os estudantes do curso de Gestão de Resorts Integrados Internacionais efectuam visitas anuais aos Estados Unidos da América para conhecerem o ponto da situação e os padrões internacionais no sector do turismo e lazer.

Ip Chon Chao, estudante do Departamento de Português, participou no programa de intercâmbio na Universidade de Lisboa, tendo aperfeiçoado a sua proficiência linguística e alargado a sua visão. Com a conclusão do curso em 2009, foi trabalhar como tradutor-intérprete numa fábrica siderúrgica em Angola, estando assim envolvido na construção da plataforma de serviços para a cooperação comercial entre a China e os países de língua portuguesa. Quatro anos depois, Ip criou em Angola a sua própria empresa com os seus amigos.

Por outro lado, três grupos de estudantes da UM, designados por Silk Road Macau, Nan Jia Zhi Zao e Team Whee, ganharam dois prémios de prata e um de bronze, na China College Students’ Entrepreneurship Competition 2018, cuja final contava com a participação de mais de cem equipas.

Além disso, a UM encorajou os seus alunos a deslocar-se ao Condado de Congjiang, na Província de Guizhou da China, para apoiar a educação local, pondo em prática a filosofia “é melhor ensinar a pescar do que dar o peixe”. Os participantes nesta actividade ajudaram efectivamente as pessoas necessitadas, dando assim contributo para o desenvolvimento do país.

Caros alunos, um ditado chinês diz: “a vida é limitada, mas a aprendizagem é para sempre”, transmitindo assim uma ideia de aprendizagem ao longo da vida. Estamos numa época de constantes mudanças. Viver nesta época equivale a navegarmos contra a corrente: para não regredir, temos de avançar. Para não ficarmos estagnados e para evitar uma visão limitada, temos de continuar a aprender a fim de nos colocarmos numa plataforma mais elevada. Só assim poderemos aumentar o nosso saber, ampliar a nossa visão e alcançar sucesso num mundo altamente competitivo.

Há três meses, foram oficialmente publicadas as “Linhas Gerais do Planeamento para o Desenvolvimento da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau”, traçando as importantes estratégias de desenvolvimento do país para a nova era e assinalando uma fase de desenvolvimento dinâmico para esta região. A integração de Macau na Área da Grande Baía e no desenvolvimento nacional já é uma tendência incontornável e irá trazer inúmeras oportunidades, em particular, para os jovens recém-formados como vós.

“O peixe tem todo o mar e o pássaro tem todo o céu.” Caros alunos, têm pela vossa frente infinitas possibilidades. A juventude é um período privilegiado da vida para definir metas e objectivos ambiciosos. Têm que prestar atenção ao que se passa com o País e relacionar as vossas aspirações e sonhos com o desenvolvimento nacional. Espero que aproveitem bem as actuais oportunidades para aumentar o vosso saber, alargar o vosso horizonte e adoptar uma perspectiva virada para o futuro. Espero que todos alcancem voos altos na vossa carreira.

Por fim, gostaria de apresentar mais uma vez os meus parabéns a todos os graduados, que entram agora numa nova fase da sua vida. Desejo igualmente a todos um futuro brilhante e faço votos de saúde e muitas felicidades para todos os presentes!

Discurso do Reitor na Cerimónia de Outorga dos Graus Académicos Honoríficos e de Pós-graduação 2018 (01/12/2018)

Exmo. Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura da Região Administrativa Especial de Macau, Doutor Alexis Tam Chon Weng, em representação do Chefe do Executivo da RAEM e Chanceler da Universidade de Macau,

Exmo. Senhor Presidente do Conselho da Universidade de Macau, Doutor Lam Kam Seng Peter,

Exmo. Senhor Presidente da Comissão de Graus e Títulos Honoríficos do Conselho da Universidade de Macau, Dr. Lei Pui Lam,

Exmos. Senhores Membros da Assembleia da Universidade e do Conselho da Universidade,

Caros convidados, colegas e alunos,

 

Muito boa tarde! Sejam bem-vindos à Cerimónia de Atribuição dos Graus Académicos Honoríficos e de Pós-graduação de 2018.

 

Hoje é um dia de grande regozijo para a UM, pois um novo grupo de alunos vai receber os diplomas de pós-graduação. Por esta ocasião, gostaria de endereçar aos diplomados, em nome de todos os membros da Universidade, as minhas mais vivas felicitações. Por outro lado, também gostaria de dirigir os meus sinceros agradecimentos aos vossos orientadores, famílias e amigos, pela atenção e apoio incondicionais que vos prestaram ao longo dos vossos estudos. Gostaria ainda de manifestar a minha gratidão à comunidade e ao Governo da RAEM pelo apoio constante ao desenvolvimento da UM. A formação de quadros qualificados e o nosso trabalho diligente e de excelência são as respostas aos apoios recebidos.

 

Além disso, a UM vai entregar os graus de doutor honoris causa a cinco individualidades distintas: a Professora Doutora Wang Anyi, o Professor Doutor Aaron J. Ciechanover, o Professor Doutor Joseph J. Y. Sung, o Doutor Anthony Lau Siu Wing e o Doutor Lao Ngai Leong. Todos os laureados conquistaram êxitos notáveis nas respectivas áreas, que nos inspiram e suscitam admiração. Hoje, temos o privilégio de conferir os graus de doutor honoris causa a três destas personalidades: em Ciências da Educação ao Professor Doutor Joseph J. Y. Sung, um educador de renome e especialista em gastrenterologia com notáveis realizações na área académica e profissional; em Gestão de Empresas, ao Doutor Anthony Lau Siu Wing, líder na indústria de carga aérea e logística e um antigo aluno exemplar da UM; e em Ciências Sociais, ao Doutor Lao Ngai Leong, um gigante no mundo empresarial de Macau que trabalha incansavelmente para promover o bem-estar social, a educação e que se dedica também à filantropia. Relativamente à Professora Doutora Wang Anyi e ao Professor Doutor Aaron J. Ciechanover, os respectivos títulos serão atribuídos em outra ocasião.

 

A UM tem-se dedicado à formação de quadros de diferentes níveis. O sucesso dos cursos de licenciatura é fundamental para a universidade. Ao mesmo tempo, entendemos que a educação de pós-graduação representa a potencialidade máxima de uma instituição de excelência, razão pela qual a UM dá grande importância à qualidade da formação dos estudantes de pós-graduação, sobretudo no que diz respeito ao desenvolvimento do seu pensamento inovador e competitividade internacional. Nos últimos anos, os nossos alunos de pós-graduação das mais diversas áreas conseguiram êxitos académicos reconhecidos a nível internacional, tendo publicado artigos e ganhado prémios em conferências no interior da China e internacionais e obtido qualificações profissionais atribuídas por instituições especializadas internacionais. A título de exemplo, um doutorado pelo Instituto de Ciências Médicas Chinesas ocupou o primeiro lugar no Young Elite Scientist Sponsorship Programme; um mestre formado pela Faculdade de Ciências e Tecnologia foi incluído na lista de jovens talentosos na área da tecnologia e inovação, elaborada pela MIT Technology Review; foi atribuído a um aluno de doutoramento da Faculdade de Direito o título de fellow da Royal Society for the encouragement of Arts, Manufactures and Commerce do Reino Unido; um grupo de investigação de pós-doutoramento do Laboratório de Referência do Estado em Circuitos Integrados em Muito Larga Escala Analógicos e Mistos recebeu o 2017 Takuo Sugano Award for Outstanding Far-East Paper em 65th International Solid-State Circuits Conference (ISSCC); uma aluna de doutoramento da Faculdade de Letras foi convidada para ser consultora de arte e jurada do England International Arts Festival. Além disso, os estudantes de pós-graduação da UM ganharam mais de metade dos Prémios de Ciência e Tecnologia de Macau em 2018.

 

No ano passado, com o empenho dos professores e alunos, a UM conseguiu elevar a sua posição internacional e prestígio académico. Este ano, cinco áreas científicas encontram-se nos primeiros 1% lugres do ranking internacional de Essential Science Indicators (ESI). Além disso, a UM foi uma das 400 melhores universidades e ocupou a 5.ª posição em termos de internacionalização, nos Times Higher Education World University Rankings 2019. O ranking não é o único critério nem o método exacto para avaliar o desenvolvimento de uma universidade, mas reflecte, porém, o seu prestígio internacional em alguns aspectos importantes.

 

Por outro lado, algumas iniciativas, que estavam em preparação há muito tempo, arrancaram este ano. Dentre elas, destaca-se o lançamento do UM Macao Talent Program; a implementação do Regulamento da Gestão da Propriedade Intelectual; o desenvolvimento de cursos transdisciplinares que integram a ciência de dados com outros ramos de estudo; a investigação inovadora em três novas áreas: medicina de precisão, materiais avançados, neurociência e inteligência artificial; a participação em projectos nacionais de investigação através do Instituto de Investigação em Zhuhai; a participação na colaboração indústria-universidade na Área da Grande Baía. Em Julho do corrente ano, com aprovação do Ministério da Ciência e Tecnologia da República Popular da China, foi criado o terceiro laboratório de referência nacional – Laboratório de Referência do Estado de Internet das Coisas para a Cidade Inteligente.

Graças à importância atribuída pelo Governo Central, ao apoio concedido pelo governo da RAEM e pela sociedade de Macau e ao esforço de todos os membros da Universidade, a nossa instituição tem conhecido um expressivo desenvolvimento. Na sua evolução, são cada vez mais claras as nossas metas educativas. A este respeito, gostaria de recordar uma máxima no mundo literário e cultural, que afirma: “Quando algo é característico para um povo, será também precioso para todo o mundo”. De facto, na área do ensino universitário, também seguimos esta filosofia: quando a UM tiver afirmado as próprias características de Macau, terá então condições para ser uma universidade de referência a nível internacional. Tal como muitas outras universidades que se propõem alcançar objectivos ambiciosos, a UM tem vindo a prosseguir a excelência em vários domínios. Para lá chegar, temos, todavia, ainda um longo caminho a percorrer. Mas antes de tudo, temos que transformar a UM numa instituição que satisfaz a comunidade local e que constitui motivo de orgulho para as gentes de Macau. Por isso, a UM tem que servir Macau e formar talentos patrióticos. Nas áreas do ensino e da investigação, no modo como nos desenvolvemos e na interacção com a sociedade, temos que ter uma preocupação para com a comunidade local e procurar promover as próprias características de Macau. Só assim é que podemos ser uma universidade singular no mundo do ensino superior.

 

No futuro, a UM irá aproveitar a dinâmica actualmente existente para continuar a desenvolver o ensino, a investigação, a transferência de tecnologia e o intercâmbio internacional, empenhando-se em concretizar as instruções dadas pelo Presidente Xi Jinping, que espera que as instituições de ensino superior de Macau formem mais quadros patrióticos e produzam mais resultados científicos. Enquanto o país está a aprofundar as reformas e a abertura, a UM irá juntar talentos de alto nível para aprofundar a cooperação interdisciplinar e renovar as suas estratégias de desenvolvimento, em ordem a explorar mais áreas de vantagem e a encorajar os seus docentes e estudantes a envolverem-se no desenvolvimento de Macau, do país e de todo o mundo. Deste modo, a UM poderá ter um papel mais relevante em Macau, integrar-se melhor na Grande Baía, servir melhor o país e todo o mundo.

 

Caros graduados, A UM está a desenvolver-se, sendo que a sua reputação e importância estão a aumentar. Ela não só faz parte do vosso passado e presente: também tem uma influência positiva para o vosso futuro. No momento da partida, quando escolherem o pano de fundo para as fotografias que vos recordarão a vida universitária, não se esqueçam da nossa estátua emblemática “Anel do Conhecimento”, erguida na Praça da Flor de Lótus. Este monumento, oferecido em Abril deste ano pelo Ministério da Educação da República Popular da China, representa as cinco virtudes encerradas no lema da universidade: o humanismo, a honestidade, a ética, a erudição e a sinceridade. Gostaria de encorajar todos os graduados a terem sempre em mente o lema e as expectativas da Universidade. Espero que, no futuro, participem no desenvolvimento de Macau e de todo o país, se mantenham atentos aos acontecimentos da actualidade e expandam os vossos horizontes para além da vossa área de especialização.

 

Macau já definiu claramente o seu papel de “um Centro, uma Plataforma e uma Base” na Região da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau. Com o desenvolvimento constante desta Região e a inauguração da Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau, e dado o enorme mercado de trabalho e o ambiente que favorece a inovação e o empreendedorismo no interior da China, torna-se mais fácil a mobilidade de talentos de alto nível, dada a procura cada vez mais forte de profissionais de várias áreas. Acredito que estas novas oportunidades vão trazer-vos novas possibilidades na vossa carreira profissional.

 

Espero que sejam inspirados pela experiência bem-sucedida das personalidades que recebem o grau de doutor honoris causa e sigam os seus exemplos para realizarem os vossos valores pessoais e sociais. Desejo-vos um futuro brilhante e muitas felicidades para todos!

 

Obrigado.

Discurso do Reitor na Cerimónia de Graduação de 2018 (26/05/2018)

Exmo. Senhor Chefe do Executivo da RAEM e Chanceler da Universidade de Macau, Doutor Chui Sai On,

Exmo. Senhor Presidente do Conselho da Universidade, Doutor Peter Lam Kam Seng,

Exmos. Senhores Membros da Assembleia e do Conselho da Universidade,

Caros convidados, antigos alunos e professores,

Caros alunos e famílias,

 

Sejam bem-vindos à Cerimónia de Graduação de 2018 da Universidade de Macau (UM)! Hoje, estamos aqui para testemunhar o momento de despedida dos nossos graduados e da sua partida para a próxima fase da vida. Antes de mais, gostaria de endereçar, em nome da Universidade, as mais vivas felicitações e melhores votos aos diplomados, pela conclusão, com sucesso, do vosso estudo. Por outro lado, também gostaria de expressar a minha mais elevada estima aos professores e funcionários da UM e às famílias dos alunos, pelo vosso apoio sem reservas. Mais, gostaria ainda de dirigir os meus sinceros agradecimentos a todos os sectores da comunidade, pela atenção e apoio prestado ao desenvolvimento da UM.

 

Na verdade, hoje também é um dia especial para mim, pois é a primeira vez que estou presente na Cerimónia de Graduação da UM. Após 37 anos de evolução, a Universidade já dispõe de um modelo educacional conducente ao desenvolvimento integral dos alunos, modelo este que aposta na educação especializada e holística, na investigação, no estágio e na educação comunitária. Este sistema conta com uma integração orgânica e participação indispensável de todas as faculdades e colégios residenciais, sendo estes últimos a característica singular da UM no âmbito dos cursos de licenciatura e que constituem também um instrumento para concretizar a filosofia do pedagogo norte-americano John Dewey, reflectida no seu adágio “a educação é a vida própria”.

 

Há quatro anos, o primeiro grupo de estudantes, entre os quais se incluem os graduados de hoje, mudou para este lindíssimo campus. Tendo passado quatro anos aqui, são estes graduados que testemunharam, participaram e beneficiaram do rápido desenvolvimento da UM.

 

A vida na comunidade do colégio residencial, um ambiente de aprendizagem multidisciplinar, deixou aos alunos muitos momentos inesquecíveis. Por exemplo, no Colégio Chao Kuang Piu, três alunos criaram uma empresa de alta tecnologia na área do entretenimento, tornando assim o seu sonho em realidade. Esta iniciativa recebeu firme apoio do respectivo colégio, que lhes proporcionou um espaço para realização de experiências. A inovação é a fonte do empreendedorismo. A experiência destes três empresários demonstrou como é que os alunos podem realizar sua ambição, criar valor e contribuir para a sociedade.

 

Os colégios residenciais proporcionaram aos alunos oportunidades de aprendizagem na vida, função esta que também impressionou os pais. No ano passado, após a passagem do tufão Hato, um dos pais publicou um artigo na imprensa, onde não só não se mostrou insatisfeito com o facto de as aulas não terem recomeçado imediatamente, mas sim elogiou o colégio residencial por ter organizado os alunos para prestar serviços voluntariados à comunidade. Para o autor do artigo, esta experiência fez com que os alunos conhecessem melhor o impacto devastador de catástrofes naturais, a importância da solidariedade e do apoio mútuo neste tipo de situações. Estou grato com o apoio dos pais ao nosso modelo educacional e estou também convicto de que os quatro anos passados no colégio residencial exercerão uma influência positiva e inolvidável nos alunos, o que é justamente o nosso objectivo.

 

Caros alunos, vão agora iniciar uma nova jornada. É com perseverança e espírito inovador que vão atingir novos objectivos e realizar novos sonhos. Na prossecução das vossas metas, espero que tenham sempre em mente a divisa da UM, que tenham coragem e que ponham o conhecimento em prática, trazendo assim uma nova dinâmica para o desenvolvimento de Macau, do país e do mundo. Saindo da Universidade hoje, vão enfrentar um mundo em rápida mudança e com feroz competição. O único “segredo” para garantir o sucesso nesta competição é a constante reflecção e procura de novo conhecimento. Tal como disse Steve Jobs em 2005 para os graduados da Universidade Stanford: “Stay Hungry, Stay Foolish.” Espero que continuem a estudar e a trabalhar com afinco. Assim, serão sempre motivo de orgulho da UM.

 

Neste momento de despedida, gostaria, mais uma vez, de expressar os meus sinceros parabéns aos diplomados. Espero que todos tenham um futuro brilhante! Desejo ainda saúde e muitas felicidades a todos os convidados, antigos alunos, professores, estudantes e famílias!

 

Obrigado!

Discurso do Reitor na Cerimónia de Tomada de Posse (24/01/2018)

Excelentíssimo Senhor Presidente do Conselho da Universidade, Doutor Lam Kam Seng,

Excelentíssimos Senhores Membros da Assembleia e do Conselho da Universidade,

Estimados convidados,

Caros colegas e alunos,

 

Muito boa tarde! Estou profundamente agradecido pela vossa participação nesta Cerimónia. Nesta ocasião, gostaria de expressar a minha imensa gratidão à Comissão de Selecção do Reitor, por ter reconhecido o valor da minha candidatura; ao Conselho da Universidade, pela recomendação da minha nomeação; ao Chefe do Executivo, que me nomeou como o nono Reitor da Universidade de Macau (UM) e me deu esta oportunidade de servir a UM e Macau. Hoje, nesta sessão solene, sinto especialmente a responsabilidade e a glória da minha missão.

 

Nos últimos anos, a UM tornou-se num estabelecimento de ensino superior de elevado prestígio, com características regionais. Esse desenvolvimento não seria possível sem o expressivo apoio do Governo Central e do Governo da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM), ou sem o empenho dos membros da Assembleia, do Conselho da Universidade e o apoio de toda a comunidade. O êxito de hoje deve-se, também, à liderança dos antigos reitores e ao esforço de todos os docentes e funcionários.

 

A retrospectiva ao passado revela 37 extraordinários anos de existência da UM e a perspectiva de futuro aponta para o início de uma nova jornada promissora. Ao planear o futuro da UM, estou convencido de que, além de olhar para a frente, é preciso também aprender da experiência obtida no passado e valorizar o legado dos antecessores, pois a preservação e prosseguimento da tradição servem de base para aperfeiçoar o nosso trabalho e para inovar. Neste âmbito, irei ouvir amplamente as opiniões de todos os intervenientes, tanto da Universidade como do exterior, por forma a construir uma ponte entre todas as partes interessadas, que facilitará a comunicação, o estabelecimento da confiança e a recolha de ideias que reflectem a sabedoria colectiva. Poderemos, deste modo, chegar a um consenso sobre os traços orientadores do desenvolvimento da UM e definir as estratégias para prosseguirmos a excelência, elevarmos a qualidade educacional e projectarmos uma maior influência a nível mundial. Neste sentido, gostaria de partilhar convosco as minhas ideias preliminares sobre o futuro, assentes nos quatros aspectos seguintes:

 

Primeiro, melhorar o sistema educacional multidimensional de modo a desenvolver diversos talentos de cada estudante.

“A boa governação do país depende dos seus quadros; os quadros formam-se através da educação; a educação é assegurada, principalmente, pelas escolas”, refere um antigo ditado. Por outras palavras, os estudantes são o futuro de Macau e do país. Portanto, iremos oferecer total apoio à implementação das linhas governativas da RAEM, no que toca à “prosperidade de Macau através da educação e a construção de Macau através de talentos”, de modo a transformar a UM num centro de excelência na área do ensino superior.

 

A este respeito, para uma universidade de renome, proporcionar licenciaturas de qualidade é a sua missão essencial. Portanto, iremos continuar a aprimorar o nosso modelo educacional que abrange vários aspectos do desenvolvimento pessoal e intelectual dos estudantes, modelo este que se caracteriza por uma combinação de Educação Holística, Educação Especializada, Educação através da Investigação e de Estágio e Educação Comunitária. Assim, iremos aproveitar melhor a nossa vantagem em educação multidimensional, que conta com o Colégio de Honra, o sistema de colégios residenciais e as diversas faculdades. Iremos, também, reforçar o modelo da educação que incentiva a inovação e empreendedorismo por parte dos estudantes, oferecendo-lhes mais oportunidades de intercâmbio em instituições de topo no interior da China e no estrangeiro. Assim, instigaremos os estudantes a ter iniciativa e a ter uma atitude activa nos seus estudos, formando quadros inovadores e pilares da comunidade, com espírito patriótico, grande aspiração, visão global e forte sentido de responsabilidade social.

 

Por outro lado, para uma universidade de primeira classe, o nível da educação de pós-graduação reflecte o seu potencial máximo enquanto instituição de ensino superior. Por isso, com vista a aperfeiçoar a qualidade neste aspecto, iremos adoptar, entre outras, as seguintes medidas: atrair melhores candidatos para os cursos de doutoramento; fortificar a equipa de orientadores de estudos de pós-graduação; prestar maior importância à nutrição do espírito científico e da capacidade inovadora dos estudantes de pós-graduação; fornecer-lhes plataformas de cooperação e investigação internacionais e oferecer-lhes mais oportunidades de participação em projectos de investigação de ponta e interdisciplinares. De facto, uma universidade de referência tem a responsabilidade de criar um ambiente académico de excelência e formar, em diversas áreas, estudantes de pós-graduação de alto nível com competitividade global e com capacidade para resolver grandes problemas científicos, assim contribuindo para impulsionar o progresso do ser humano e da civilização.

 

Segundo, criar um ambiente de trabalho propício para que cada um possa maximizar o seu talento e potencialidades.

Os professores de excelência constituem a maior riqueza de uma universidade, pois a existência de bons professores é a precondição para a alta qualidade da formação. Uma equipa docente dinâmica, de prestígio internacional e dotada de elevado padrão profissional e ético é um elemento vital para o êxito de uma universidade. Nesta óptica, iremos procurar criar um ambiente de trabalho harmonioso e inclusivo, em que se valoriza o espírito colectivo e solidário e o contributo de cada um. Assim, um ambiente de trabalho agradável poderá atrair mais profissionais de excelência e permitir a cada docente e funcionário ter maior sensação de pertença e desenvolver as suas capacidades, aplicando o seu ponto forte no ensino, investigação, gestão e serviço administrativo.

 

Iremos aperfeiçoar o sistema de avaliação do corpo docente, por categorias diferenciadas, considerando as circunstâncias reais de Macau e tendo como referência os padrões adoptados por outras universidades de excelência. Iremos, também, melhorar a qualidade da gestão e serviços administrativos, a eficiência da utilização de recursos e apostar na atracção de mais profissionais de alto nível, em ordem a criar um ambiente estimulador da potencialidade do corpo docente, permitindo-lhe elevar o renome académico internacional e alcançar resultados na investigação de ponta.

 

Terceiro, expandir os mecanismos de cooperação no domínio da investigação e elevar o grau de inovação e o impacto dos resultados.

Uma universidade de excelência deverá ter a responsabilidade e capacidade para explorar o mundo desconhecido, o que representa um elemento fulcral na promoção do seu prestígio e influência. Sem perder de vista o progresso académico global, procuraremos investir em áreas científicas consideradas mais relevantes, elevando a qualidade, enriquecendo o conteúdo da investigação e formando assim áreas de excelência nos domínios das humanidades, das ciências sociais e das ciências e tecnologia. A este respeito, iremos promover sistemas de cooperação na investigação, designadamente através do reforço da colaboração multidisciplinar dentro da Universidade, de parcerias com outras universidades, institutos e empresas do interior da China e da cooperação científica internacional. Por outro lado, iremos reformar o sistema de gestão e apoio à investigação, com vista a assegurar as condições adequadas para a realização das actividades neste domínio. Iremos, também, reforçar a integração entre o ensino e a investigação, assim fortificando o papel “alimentador e nutridor” da última para com o primeiro. Pretendemos, desta maneira, contribuir para a solução de problemas que enfrenta toda a humanidade e elevar a nossa capacidade de liderança e reputação nas respectivas áreas.

 

Quarto, reforçar o papel da UM no serviço à comunidade local e concretizá-lo em todas as áreas possíveis do desenvolvimento socioeconómico.

Numa universidade de excelência, existe uma relação complementar e mutuamente benéfica entre a sua capacidade institucional e o seu papel na comunidade: quando mais desenvolvida for a instituição, melhor serviço poderá prestar à sociedade, e, consequentemente, mais importante será o seu contributo para o desenvolvimento local. A Universidade de Macau, a única universidade pública de Macau, não deverá estar encerrada numa “torre de marfim”, antes deve empenhar-se em melhor servir a sociedade. Quanto a esta matéria, iremos fortalecer o papel da UM enquanto think tank do Governo da RAEM, auxiliando-o na sua governação científica e no desenvolvimento de “um centro e uma plataforma”. Além do mais, iremos promover activamente a cooperação indústria-universidade e a capacidade de transferência e comercialização dos resultados de investigação. Deste modo, é nossa intenção contribuir com apoio e serviços, designadamente na construção da cidade inteligente, na melhoria da prestação de cuidados de saúde e de educação básica, desempenhando assim um papel ainda mais significativo na evolução socioeconómica de Macau.

 

Assumi a nova missão neste novo cargo, começando assim uma nova jornada nesta nova era. A missão nobre e a responsabilidade pesada exigem uma dedicação total da minha parte. A ambição motiva uma pessoa a procurar conseguir maior sucesso, tal como o sonho estimula uma universidade a perseguir excelência. Portanto, a UM deve procurar consolidar o seu papel na comunidade local, integrar-se na Grande Baía e servir o país e o mundo. Neste sentido, iremos dar continuidade ao espírito consagrado na sua divisa: Humanismo, Honestidade, Ética, Erudição e Sinceridade, e pôr em prática o modelo da educação que valoriza o papel central dos alunos e professores. Assim, com o grande apoio de todos os sectores da comunidade e através do empenho de todos os membros, iremos tornar a UM numa instituição objecto de orgulho da população local e procurada pelos melhores alunos e académicos.

 

Por fim, agradeço-vos a presença e faço votos de saúde e muita felicidade para todos.

 

Obrigado!

 

Yonghua Song

O Reitor da Universidade de Macau

Uma Mensagem para a Comunidade da UM (09/01/2018)

Dear colleagues, students and alumni,

Today is my first day of being the rector of the University of Macau. At the turn of the year, I would like to send all of you my best wishes. May the year of 2018 bring you good health and every success!

It is my greatest honour to be appointed the ninth rector of the university by the Chief Executive on recommendation by the University Council. In the past months, I had the opportunity of meeting some of the council members, staff and students. You were so welcoming and I thank you for sharing with me your studying and working experiences as well as your campus life. I am deeply touched by all those great efforts that you have put in making this university into the one as we know it today: be it about its state-of-the-art facilities, or its verdant campus that is richly steeped with academic ambience.

Without a doubt, the university has come a long way over the years with increasing academic influence and kudos internationally. This would not have been possible without the full support of the central and the Macao SAR governments and the outstanding leadership of the current and previous chancellors, council members and rectors. Last but not least, we are grateful for the unreserved support of the community and the contributions of university staff.

This is a new chapter, a new mission. I will hit the ground running and look forward to meeting many more of you in the coming months in different ways possible: formally or not so formally. I will also listen to the local community and see what they expect of us. With the solid foundation laid for the university, we will continue to do our job well through collective efforts and we look forward to more innovation, new opportunities and greater accomplishments in the future development of the university.

Yours sincerely,

Songhua Song
Rector of the University of Macau